Artigos

image

Má alimentação e os sintomas

Em algumas situações de desequilíbrio orgânico a inflamação se torna crônica, isto é, se torna uma condição persistente, o que resulta em constantes dores (muitas vezes fortes), inchaços, rigidez das articulações ou até dificuldade de se locomover. Por causa da constante presença de dor, inchaços e outros sintomas, muitas pessoas ficam descrentes sobre uma possível melhora, e acabam sem saber que a inflamação crônica pode ser reversível quando identificada e tratada corretamente.

A alimentação tem grande relação com o surgimento e agravamento de doenças e problemas de saúde em geral. No caso das dores, sejam elas agudas ou crônicas, uma nutrição adequada pode ser fundamental para o sucesso do tratamento. A alimentação saudável é uma forma de prevenção e forte aliada no tratamento de quem sofre com a dor, trazendo um maior alívio e rapidez nos resultados.

Como os nutrientes podem ajudar na prevenção e combate às dores.
Magnésio: A carência deste nutriente pode ser responsável pelo surgimento de dores tensionais, osteoporose, TPM, irregularidades no sono e problemas que acarretam episódios de dores crônicas. Quando consumido de maneira adequada, esse mineral tem efeito muscular relaxante.
Ômega 3: Este ácido graxo é um poderoso estimulante dos processos inflamatórios e, por isso, é muito utilizado especialmente na prevenção de dores musculares, de cabeça e em alguns tecidos do corpo.
Vitamina B6 (Piridoxina): a absorção dessa vitamina pelo organismo favorece a respiração celular.
Ácido fólico (Ácido Fólico): formação de proteínas estruturais e hemoglobina. Sua deficiência é responsável por quadros de anemia, anorexia, dores de cabeça, insônia, e fraqueza.
Vitamina B12 (Cobalamina): a carência pode dar origem a quadros de anemia, alterações neurológicas, fraqueza.
As vitaminas do complexo B auxiliam na produção de neurotransmissores como a serotonina que está envolvida com a sensação de bem estar. Zinco: a restrição desse elemento na alimentação está comumente associada a dores nas costas e nas pernas.
Fibras: ajudam no bom funcionamento do intestino e na adequada absorção dos nutrientes pelo organismo, fundamental no tratamento da dor. Ter um intestino saudável também é fundamental no tratamento da dor já que, quando isso não ocorre não absorvemos os nutrientes adequadamente e assim podemos aumentar as carências nutricionais de vitaminas e minerais, e aumentar o processo inflamatório.

O paciente tem que estar com uma alimentação saudável para não estimular mais a inflamação. É importante que ele consuma mais alimentos antiinflamatórios e menos alimentos que chamamos de inflamatórios que podem piorar a dor. E o que acontece nos dias de hoje é o consumo excessivo desses alimentos industrializados, frituras, refrigerantes; ricos em açúcar e cereais refinados.

Comer corretamente pode ajudar quem sofre de doenças crônicas. Utilizar alimentos adequados alivia as dores, já que certos nutrientes são responsáveis pela síntese dos neurotransmissores (mensageiros cerebrais) associados à sensibilidade, dor e sensação de bem-estar.

As modificações na dieta devem ser feitas gradativamente, com o objetivo de incorporar as alterações propostas, sempre visando a qualidade de vida do paciente. Esses novos hábitos alimentares ajudam a reduzir a indisposição, melhoram a hidratação e a qualidade intestinal, evitando problemas digestivos e aumento do peso, por vezes favorecido pelo uso dos medicamentos.

Os efeitos desses nutrientes não são imediatos; a alimentação equilibrada é apenas uma parte de todo o tratamento.

Essa alimentação mais saudável associada a exercícios físicos e à MICROFISIOTERAPIA pode lhe ajudar alcançar a diminuição de inflamações e dores. A MICROFISIOTERAPIA corrige a restrição tecidual que aparece pelo mal funcionamento do organismo, informando ao corpo uma nova situação para que essas células retomem seu funcionamento saudável, e assim a absorção de nutrientes e suplementos fica mais eficiente.

REFERÊNCIAS
BORREGO, Carolina de Campos Horvat et al. Causas da má nutrição, sarcopenia e fragilidade em idosos. Rev. Assoc. Bras. Nutr.: Vol.4, N.5, jan-jun 2012.
BRIOSCHI, Elisangela F. C. et al. Nutrição funcional no paciente com dor crônica. Rev Dor, 2009; 10: 3: 276-285.
CORTES, Matheus Lopes et al . Uso de terapêutica com ácidos graxos ômega-3 em pacientes com dor crônica e sintomas ansiosos e depressivos. Rev. dor, São Paulo , v. 14, n. 1, Mar. 2013 . Disponível em: http://www.scielo.br. Acesso em: 26 Aug. 2014.
MIRANDA, Renata da Costa de. Relação entre o consumo alimentar, estado antioxidante e dor em mulheres com fibromialgia. Pós – Graduação em Segurança Alimentar e Nutricional, da Universidade Federal do Paraná, Curitiba, Paraná, 2013.

Fonte: Instituto Salgado